Resenha: As vantagens de ser invisível, de Stephen Chbosky ( SPOILERS)

  As vantagens de ser invisível ( nome original The perks of being a wallflower) Stephen Chbosky, que foi lançado em 2007, mas chegou ao Brasil apenas em 2012, junto com sua adaptação para o cinema.

" Então, esta é minha vida. E quero que você saiba que sou feliz e triste ao mesmo tempo, e ainda estou tentando entender como posso ser assim. "

 Charlie é um adolescente de 15 que acaba de entrar no Ensino Médio, ele é ancioso e tímido, e isso impede de ele se comunicar plenamente com as pessoas, o seu melhor e único amigo, Michael, se suicidou o deixando sozinho novamente.

 " Mas, desta vez, fui sozinho. Porque o Michael se foi. "

 Ele narra a história por meio de cartas que não sabemos para quem são e os nomes dos personagens são mudados afim de a pessoa a para quem ele manda as cartas não descobrir quem ele é.

" A dor precisava fazer sentido. "

  Tudo muda quando ele conhece Sam e Patrick, dois veteranos que o levam para um novo mundo que ele não conhecia, o mundo das festas, amores e drogas. E junto com esses seus dois novos amigos ele começa a mudar e a perceber que antes ele não vivia, apenas observava as pessoas vivendo.

" E naquele momento, eu seria capaz de jurar que éramos infinitos. "

  Charlie teve muitas percas e tristezas em sua vida, sua tia Helen, seu melhor amigo Michael, ele viveu muito tempo de sua vida indo em clinicas psiquiátricas. Nem todo leitor percebe, mas Charlie é esquizofrênico. Sua tia Helen morreu no aniversário dele, indo comprar seu presente, e ele se culpa pela morte dela. O livro conta a vida de Charlie, problemas familiares, decepções amorosas, sua primeira festa, etc. É um livro bem complexo, mas fácil de ser compreendido.

" Não sei o que há de errado comigo. É como se tudo o que pudesse fazer é escrever esse palavreado para evitar a depressão. "

  Algumas pessoas acharam o final do livro meio perturbador, pois está muito confuso e não dá para entender nada, por isso é bom assistir o filme, - Que incrivelmente  é bem fiel ao livro - Mas se a pessoa prestar atenção, dá para perceber que ele teve um surto, e o final, a não ser como o epílogo, soa como um suicídio.

" Espero que você pense o mesmo. Tudo bem, então. Adeus."



Nenhum comentário:

Postar um comentário